criar-ebook-sucesso

Como Criar um Ebook de Sucesso

Saber como criar um ebook pode transformar seus negócios na internet. Vender pela internet, seja um ebook, seja treinamentos, seja produtos físicos, demanda um conhecimento amplo da pessoa que você decidiu ajudar.

Quando você decide trabalhar com conhecimento, você precisa ter uma estrutura, um planejamento para transformar conhecimento em negócio. Existem várias formas de começar, como criar um ebook ou uma planilha e disponibilizar em seu site.

Muitos empreendedores já entenderam que a melhor forma de começar um negócio é pela audiência. Tenha um público fiel ao seu conteúdo antes de lançar o seu produto. Esse é o modelo onde você investe menos e aumenta suas chances de sucesso durante o período de vendas.

 

Por que criar um ebook então?

 

Ebooks surgiram com a digitalização da informação. Antes de uma maneira arcaica e agora de uma maneira totalmente mobile, os livros digitais fazem parte do nosso dia-a-dia.

Um grande medo dos grandes escritores era o mesmo de radialistas: que o mercado sumisse. Seguisse somente o caminho dos vídeos e das interações e esquecesse o início de tudo, as palavras escritas.

Mas o que se viu foi que o mercado ganhou força. Os ebooks vieram para trazer uma nova perspectiva para a leitura e para o acesso à informação. Eles são infinitamente mais fáceis de levar e trazer e você não precisa mais de uma biblioteca inteira na sua sala para ler muitos livros. Você só precisa de um leitor digital, um belo sofá e um café quente.

Você tem um conhecimento e pode transformá-lo em um livro. Basta tentar entender a melhor forma de escrever e, principalmente, para quem escrever. Qual a melhor linguagem, o melhor público e os melhores formatos – mais ou menos imagens, etc.

 

E vou dar de graça?

fazer-livro-digital

Sim, gratuitamente. Essa é uma estratégia que vem sendo utilizada por experts em marketing digital e que vem gerando muitos resultados.

Um ebook tem um custo de produção muito baixo. Por isso, pode ser a porta de entrada para colocar o seu conhecimento à disposição do seu potencial cliente para que ele demonstre interesse e deixe seu contato.

A partir daí você estabelece um relacionamento para criar autoridade e demonstrar para o seu futuro cliente o que você pode fazer por ele. Seja somente escrevendo ou ministrando aulas em vídeo.

 

Falar sobre sua empresa? Calma, nem tanto

 

Quem gosta quando o comercial entra bem no clímax do filme?

O seu conteúdo de relacionamento precisa ser exatamente isso: relacionamento. Não propaganda o tempo todo. Sua empresa precisa utilizar o conteúdo de uma maneira inteligente. Gerar valor para o prospecto antes de tentar vender.

O conteúdo precisa ser utilizado para educar, quebrar objeções de compra, mostrar soluções diversas, resolver pequenos problemas. Parceria com o seu futuro cliente.

Como exemplo, vamos supor que você fale de treinamentos e que você queira mostrar para o seu prospecto como criar um treinamento.

O seu conteúdo de relacionamento poderá mostrar a ele o que é andragogia, por que é importante ministrar treinamentos, maneiras de organizar um treinamento e por aí vai.

Quando ele perceber o quanto você ajudou, fazer uma oferta ficará muito mais fácil. Ele entenderá que você realmente pode ajudar a resolver muitos problemas e que o seu conteúdo pago deve eliminar todos eles.

Gostou? Então acompanha aí que vem muito mais.

 

Abraço!

 

treinamento-desenvolvimento-pessoas

Treinamento, Desenvolvimento, Infoprodutos e Design Instrucional

Parece que os temas estão sem conexão, mas se você parar para pensar design instrucional, infoprodutos, treinamento e desenvolvimento estão muito ligados. Todos possuem a missão de educar e transformar pessoas por meio do conhecimento.

Muito se fala hoje sobre a era do conhecimento. Mas poucos souberam transformar esse conhecimento em algo tangível. Quem conseguiu fazer isso, modificou não só a vida de outras pessoas, como também a própria vida.

A educação a distância transformou o modo como aprendemos e como interagimos com o mundo ao nosso redor. Pessoas que antes não tinham acesso nenhum ao conhecimento, hoje podem cursar faculdades, aprender e multiplicar o conhecimento onde quer que estejam.

Além disso podem contribuir com seus próprios conhecimentos. Muitas pessoas que aprenderam como montar seus próprios meios de subsistência, por exemplo, podem trocar essa experiência com engenheiros, médicos e outros profissionais dos grandes centros.

Isso só é possível com treinamentos, infoprodutos e objetos de aprendizagem bem planejados e elaborados por profissionais capacitados.

 

De que forma o objeto de aprendizagem aumenta o potencial de absorção do aluno?

 

Interatividade. O aluno trabalha sua memória de trabalho de uma forma mais aprofundada, ativando melhor a memória de longo prazo, pois estimula além do visual e do áudio, a atividade. Fazer é a melhor forma de aprender.

Acredito que há, principalmente, a presença da carga cognitiva intrínseca, pois o aluno aprende correlacionando tópicos do assunto em um ambiente de interatividade. O aprendizado torna-se mais completo e o lúdico faz com que o aluno aprenda um conteúdo de certa complexidade por meio de comparação com o mundo real e estímulo à tomada de decisão.

Há também carga cognitiva externa, onde personagens interagem com o aluno fazendo com que o ambiente seja uma simulação de uma empresa real. A proximidade com a realidade traz uma sensação de aprendizado hands on.

 

E o Design Instrucional?

 

Se pararmos para pensar, uma parte do trabalho de qualquer profissional, independentemente de sua área, envolve ensinar ou capacitar outras pessoas. A prática do design instrucional é frequentemente tão “transparente” em nossas ações diárias, que muitos de nós não reconhecemos nosso papel como designers.

Enfermeiras, engenheiros, médicos, advogados, economistas são apenas alguns dos milhares de profissionais que não se dão conta de que lidam com muitos dos desafios que professores, tutores, mediadores, treinadores e acadêmicos enfrentam todos os dias.

Mas foi somente com o aprimoramento da metodologia de educação a distância que uma forma organizada e focada de ensino foi estruturada e aplicada. Dinâmica e carente por uma maior interatividade entre emissor e receptor, a educação a distância foi trazida a um outro patamar com a instituição de monitores e tutores cujo principal objetivo é minimizar os impactos da distância física no processo ensino-aprendizagem.

 

Qual o papel do tutor?

 

O tutor tem por principal função dinamizar o fluxo de conteúdo, atrair a atenção dos alunos reduzindo índices de abandono, facilitar a absorção do conteúdo, customizar a forma de aprendizado etc. O papel do tutor é justamente o de proporcionar ao aluno a oportunidade de aprender e praticar, construindo assim o conhecimento.

A interatividade deve ser explorada ao máximo como forma de estimular a criação de um posicionamento crítico e não totalmente passivo daquele que está recebendo o treinamento. As ferramentas estão lá: chat, fórum, e-mail. E se utilizados da melhor maneira atingirão os objetivos propostos.

Utilizando também da metodologia do coaching, esse tutor tem o poder de fazer das pessoas protagonistas de suas próprias vidas. Esse é um grande poder do coach.

 

Conclusão

 

Quanto mais metodologias para transformar a educação melhor. Trazendo para o âmbito da área de treinamento e desenvolvimento podemos dizer que estamos no caminho certo. Desde as iniciativas de universidades corporativas até a formação cada vez maior de designers instrucionais, podemos dizer que a educação a distância ganha espaço e transforma pessoas.

Trazer o potencial de cada metodologia é papel de todo instrutor, tutor, coach ou profissional que escolheu trabalhar com desenvolvimento de pessoas.

 

Até a próxima!